Gravidez-pais-filhos · Pensamentos soltos · Psicologias · Relações humanas

Tive gémeos prematuros e não consigo explicar isto à Segurança Social!

Gravidez de gémeos.

Parto prematuro às 28 semanas (na língua dos não-grávidos”, aos 7 meses).

Os gémeos passaram os seus 70 primeiros dias de vida na incubadora.

Fatores emocionais à parte (noutro post), vamos aos burocráticos:

A licença de maternidade começa, por defeito e automaticamente, a ser gozada imediatamente após o parto. Primeira questão: Pois então e quando o bebé ou os bebés têm que ficar internados?… Resposta: “Terá de se deslocar a um dos balcões da Segurança Social e fazer um Requerimento pedindo suspensão da licença até à data da alta”.

E se a data de alta dos bebés for em alturas diferentes?

“Aí, quando primeiro tiver alta, terá de ser passada nova baixa em nome do segundo…”

Da licença inicial do pai 5 dias terão que ser gozados obrigatoriamente após o parto e os outros 15 quando o decidir, desde que até ao primeiro mês de vida dos bebés.

Segunda questão: E, neste caso, em que os bebés completarão o primeiro mês de vida ainda internados? Resposta da funcionária: “É a primeira vez que me colocam essa questão. É, de facto, pertinente. Só um momento (…) Lamentamos mas a lei não prevê estas situações. A licença do pai tem que ser gozada até ao primeiro mês de vida dos bebés, ainda que não se encontrem em casa”…

Terceira questão: O pai não pode estar de baixa por assistência à família durante o tempo em que os bebés estão internados? Resposta: “Não, mãe e pai não podem estar ambos de baixa pelo mesmo motivo”.

Pergunto-me: Pelo mesmo motivo? Mas são dois!… (Ou três, se contarmos com a mãe!…)

Sendo que a baixa da mãe é passada em nome de um filho, não poderá o pai estar de baixa por assistência a outro? Resposta: Não, apenas se os bebés estivessem internados em sítios diferentes.

Portanto, a mãe debilitada física e psicologicamente, passa os dias no hospital perto dos bebés em luta pela vida, sem o apoio e a presença do pai que tem de estar no exercício das funções laborais, porque a lei não comtempla estes casos??!!… A presença do pai na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais dá-se então ao fim do dia, depois de uma jornada de trabalho, como se de uma visita se tratasse?!…

“Compreendemos perfeitamente a sua situação… Pode sempre fazer uma exposição ao Conselho Distrital, blá, blá, blá”

E andamos literal e metaforicamente “aos papéis” nesta que será, porventura, uma das fases mais delicadas da vida de alguém a pedir SEGURANÇA a uma entidade com este desígnio!…

 

Anúncios

2 thoughts on “Tive gémeos prematuros e não consigo explicar isto à Segurança Social!

  1. Muito triste esta realidade..mas eu passei pelo mesmo mas elas nasceram de 34s e uma passou 5 dias na neo e a outra 3 dias mas eu fiquei sempre internada para as poder acompanhar é só tive mos alta passado 5 dias de elas nascerem, elas nasceram a 14/7/2015 e sai mos a 25/7/2015 e foi muito complicado explicar na ss que estive mos as 3 internadas e eles não quiseram saber meteram a licença logo a seguir ao nascimento delas reclamei e voltei a reclamar e não deu em nada resumindo fiquei prejudicada em 11 dias…

    Gostar

  2. Olá sei exactamente o que estás a passar ,no meu caso foi um bocadinho mais complicado porque tive trigêmeos. Tive que ir várias vezes não só por causa da baixa mas também por causa do valor ,que supostamente ,estava a receber indevidamente. Resumindo é uma odisseia.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s