pais e filhos · Pensamentos soltos · Psicologias · Relações humanas · Uncategorized

O meu amor pequenino…

Chamo-lhe “o meu amor pequenino”.
O adjectivo nada tem que ver com o tamanho do meu amor mas com o tamanho deste bocadinho de gente objecto deste amor.
Mas gente não se mede aos palmos e o meu amor pequenino não vê o mundo à sua proporção.
O meu amor pequenino não tem medo das ondas, ri-se com o seu eco e persegue a sua sombra aquela hora do dia em que é maior que ele…

Torço para que, à medida que te vás tornando menos pequenino e o meu amor sempre maior, o mundo nunca te pareça demasiado grande!…
E verás que não há sonhos suficientemente grandes para sonhar e não há desafios demasiado grandes que justifiquem não tentar, mesmo que, à primeira vista, pareçam inatingíveis.
Mais vale ter quatro olhos e ver maior…
E tentar sempre… E sempre com um sorriso!
E o superlativo é “o maior!”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s