casal · Pensamentos soltos · Psicologias · Relações humanas

Casar todos os dias

Não se trata de casar naquele dia, trata-se de casar todos os dias.
Não suporto ouvir teses de como “depois do namoro vem o casamento”. Como se o namoro fosse a primavera e o casamento uma estação (terminal) apinhada de sacos de compras, filhos e contas. 
Como se o namoro acabasse com o casamento. O que ninguém nos diz é que o fim do namoro é que acaba com o casamento. 
Tenho para mim que o casamento mais duradouro é muito mais apaixonante que a mais tórrida das paixões. Qualquer um se apaixona. O difícil é fazer perdurar no tempo e no espaço, (que, entretanto, se fizeram nossos) os sins inteiros e multiplicados.
Atento que, nesta matéria, há poucos verbos mais bonitos do que “salvaguardar” e que os guardiões acabam por ser muito mais heróis do que os conquistadores. 
E que o feito é casar todos os dias.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s