Gravidez-pais-filhos · pais e filhos · Pensamentos soltos · Psicologias · Relações humanas · Uncategorized

Mãe suficientemente boa

Suficiente: que é bastante; que satisfaz. A “mãe suficientemente boa”, conceito psicanalítico, não é a mãe perfeita. A mãe suficientemente boa não é totalmente boa ou totalmente má, é suficiente. A mãe suficientemente boa é aquela que atende às necessidades do bebé, mas também que o frustra, ao mostrar-lhe que ele não terá os seus… Continue reading Mãe suficientemente boa

Gravidez-pais-filhos · pais e filhos · Pensamentos soltos · Psicologias · Uncategorized

Grávidos e recém-pais

AOS GRÁVIDOS e RECÉM-PAIS Tenho acompanhado de perto algumas grávidas e recém- mães neste período de quarentena. Independentemente de todas as emoções positivas inerentes à gravidez, o estado de emergência vem tirar alguma graça ao estado assim chamado. Na realidade, o papel do pai começa muito antes de atravessar as portas da sala de partos.… Continue reading Grávidos e recém-pais

Gravidez-pais-filhos · Pensamentos soltos · Psicologias · Relações humanas · Uncategorized

Conheci-os ainda antes de nascerem!

Eles reagem ao toque, ao som, aos sabores. Eles reconhecem a voz dos pais e reagem aos estados emocionais da mãe. Eles têm memória e sensações. Eles até sonham! (verdade!) As mães (e os pais!) que me lêem comprovarão: os fetos têm personalidade! Quem viveu mais do que uma gravidez terá esta convicção ainda mais… Continue reading Conheci-os ainda antes de nascerem!

casal · Gravidez-pais-filhos · pais e filhos · Pensamentos soltos · Uncategorized

“Agora que temos um bebé é que começamos a discutir?”

“Agora que temos um bebé é que começamos a discutir?” Ouço-o vezes sem conta e constato que muitos casais têm dificuldade em reajustar-se a esta… de somar. E não sou eu que o digo, é a matemática destas matérias que dá o resultado: grande parte das separações/ divórcios acontece nos dois primeiros anos de vida… Continue reading “Agora que temos um bebé é que começamos a discutir?”

Gravidez-pais-filhos · pais e filhos · Pensamentos soltos · Psicologias · Relações humanas · Uncategorized

Não vão ouvir o coração inquieto da mãe assim que chegam, tampouco conhecem o colo dos pais nesse dia… Não vão para casa com uns pais extasiados e deixam um quarto à espera, inanimado mas ansioso… Não ouvem músicas de embalar mas a mesma nota, compassada e monitorizada… Vestem roupa de bonecos e vêem o… Continue reading

Gravidez-pais-filhos · pais e filhos · Pensamentos soltos · Psicologias · Uncategorized

Estamos grávidos!

Infertilidade. Esse palavrão! Fui, diversas vezes, confrontada na minha prática clínica com mulheres que me procuraram com esta problemática.O diagnóstico é vivenciado com uma série de sentimentos: negação, depressão, ansiedade, revolta, angústia. Ora, vamos por pontos: Ponto 1) Infertilidade não é sinónimo de esterilidade! Isto é, o diagnóstico de infertilidade não é uma sentença para… Continue reading Estamos grávidos!

Exercício físico · Gravidez-pais-filhos · Relações humanas · Uncategorized

Mexam-se!

O desporto fez, desde sempre, parte integrante da minha vida. Aprendi a fazer o “plie” antes de saber saltar ao elástico e calçei as sapatilhas de ponta antes dos saltos altos. Com a parvoíce inerente à idade do armário, guardei lá dentro as sapatilhas, embora numa gaveta bem à mão (foi, portanto, uma parvoíce consciente)… Continue reading Mexam-se!

Gravidez-pais-filhos · pais e filhos · Pensamentos soltos · Psicologias · Relações humanas · Uncategorized

Dos Cuidados Intensivos Neonatais para os intermédios

(este post vem no seguimento deste Piso 8. Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais e deste Pari às 28 semanas) Síndrome do ninho vazio”, é assim designado o quadro vivenciado pelos pais quando os filhos saem de casa… E quando os pais, acabados de o ser, regressam a casa sem os filhos, acabados de nascer? Nem… Continue reading Dos Cuidados Intensivos Neonatais para os intermédios

Gravidez-pais-filhos · pais e filhos · Pensamentos soltos · Psicologias · Relações humanas · Uncategorized

Pari às 28 semanas

Esta sou eu, grávida de gémeos de 26 semanas. Estava longe de imaginar, mas os gémeos nasceriam apenas uns dias depois. Sim, pari (“parir” é um termo médico, que não choque os mais sensíveis) às 28 semanas. (Para quem não fala “gravidez” ainda não tinha 7 meses). Hesitei muito antes de escrever este post. Uma… Continue reading Pari às 28 semanas